Games | Jogo coloca movimento antivacina como uma das próximas pragas mortais.

Games | Jogo coloca movimento antivacina como uma das próximas pragas mortais.

03/01/2019 0 Por Fala Geek

O movimento antivacina tem ganhado força no planeta nos últimos anos, mas ainda é bastante criticado e ridicularizado por muita gente. E agora, seus apoiadores acabam de se tornar os “vilões” de um videogame que simula epidemias em uma escala global.

O game Plague Inc. permite ao jogador simular um pandemia global para tentar eliminar a presença da humanidade da face da Terra. Para conseguir esse objetivo, você pode escolher ser uma bactéria, vírus, fungo, parasita, príon, nanovírus ou uma arma biológica.

O simulador já se tornou um sucesso e de acordo com a Ndemic Creations, desenvolvedora do título, ele já conta com 120 milhões de jogadores ao redor do planeta. E a opinião deles é tão levada em conta que após uma petição, o movimento antivacina agora também será uma das opções de patógeno em Plague Inc.

O criador do game é o economista James Vaughan, que usou seu conhecimentos na área para desenvolver um simulador que explorasse realisticamente a maneira em que as doenças podem se espalhar pelos países, levando em conta fatores como transmissibilidade, letalidade, mutações e condições climáticas.

Por mais que tenho um lado de apenas te divertir, o simulador também é uma forma de mostrar como que pandemias poderiam se espalhar pelo planeta.

Parte do sucesso de Plague Inc. são as suas mais variadas atualizações, que já apresentaram diversas pandemias diferentes, como pragas zumbi, infecções vampíricas e até mesmo uma simulação da gripe que dizimou os humanos na série de filmes Planeta dos Macacos.

Por conta disso, a Ndemic Creations decidiu incluir o movimento antivacina no game, até como uma forma de mostrar um cenário mais realista para os jogadores. Ainda não se sabe quando que a atualização será lançada, mas se a empresa levar em conta o que acontece no mundo real, os apoiadores do movimento devem divulgar conspirações na internet, tentar recrutar novos integrantes e até mesmo encorajar a propagação de doenças fatais para comprovar a ideia.

De qualquer forma, vamos deixar a torcida pelos patógenos apenas no mundo virtual, não é mesmo?

Fonte: Ei nerd